04/01/2012

Testemunha de Jeová? NÃO!

Não achei nenhuma imagem legal e coloquei essa porque ela é gostosa.
 E também pra incentivá-lo a continuar a ler o texto, que é melhor que a Bíblia

 O que é exatamente estar de férias? Férias: estado de ação; É quando sua ociosidade, sua procrastinação e seu sedentarismo e começam a brilhar e entram em chamas, descontrolando todo o seu relógio biológico, fazendo-lhe dormir de 10 à 12 horas diárias. Isso se você for um abstêmio de vida social, é claro. O que é meu caso.

 Dizem que as pessoas passam em média um terço da vida delas dormindo. O que significa que elas dormem aproximadamente 8 horas por dia. Então, se eu durmo 12 horas por dia, passo metade da minha vida deitado sobre um colchão? Acho justo, afinal, como sou um completo desprovido de convívio humano, ainda mais nas minhas férias escolares, não faz diferença. E não importa o quão cedo eu vá dormir, aparentemente só consigo entrar em coma após as cinco horas da madrugada. Se eu não morresse por doze horas todos os dias, isso não seria um problema sério.

 E justamente neste dia normal cumprindo minha rotina, que era pra ser uma de minhas hibernações de inverno dignas de ursos polares, fui despertado de meu sono matinal, matutino, vespertino e noturno. O que era pra ser um dia normal pra ser cumprido meu horário normal de sono nas férias (o que no caso seria das 5:00 até às 15:00), fui interrompido de meus nobres sonhos. Fui acordado às 10 horas da manhã com barulhos no portão de minha residência.

 Quem era? Era o cobrador da luz? Da água? De IPTU? Da conta do bar? Do prostíbulo? Não. Abri a porta. Era uma testemunha de Jeová?! NÃO!

 Surpreendentemente, cheguei a conclusão de que o mundo decidiu conspirar à favor de novas tendências na moda nesse verão de 2012, renovando um pouco os valores dessa sociedade moderna. Ou seja, ao invés do cosmos me enviar uma velha testemunha de Jeová que pudesse me perguntar qual foi a pessoa mais importante que já viveu e eu responder com o meu maior senso de fanfarronice que foi o Goku ou o MacGyver; não. Não era nenhuma testemunha de Jeová. Que antes fosse.

 Me encaminhei com os olhos grudados de lágrimas ressecadas enquanto ajeitava desesperadamente meus pés em meus chinelos, e meu cérebro recém-ligado que não conseguia descobrir onde encontrava-se a chave. E além de tudo, meu desespero aumentava a medida que batiam mais na porta e eu não achava as benditas chaves. Minhas células e meus neurônios cerebrais não estavam totalmente eletrizados ainda, portanto decidi por desistir pela procura de tal objeto perdido e atender ao maldito desconhecido elemento que estava batendo em meu portão de casa às 10 da manhã exigindo minha presença, seja lá por quais eram seus motivos.

 Desci um pequeno par de degraus e me encaminhei ao portão. O abri. Estava destrancado. A minha persistência de procurar a chave tinha sido em vão. Enquanto eu abria a porta, meu cérebro e meus olhos parcialmente abertos que ainda estavam se conectando em minha recém despertada desesperada tentavam identificar em meio à luz do sol o que estava me fazendo acordar do conforto de minha cama. E avistei duas figuras. Dois corpos. Dois indivíduos, dois elementos. Duas pessoas. Duas mulheres. Mulheres femininas.

 Eram duas mulheres. Meus olhos ainda entreabertos e minha perspicácia deram uma rápida analisada na vestimenta de ambas as mulheres, que se vestiam e tinham fisionomia iguais. Tinham cabelos longos nas costas e usavam saias jeans. Ou seja: De fato, não era uma testemunha de Jeová. Eram DUAS evangélicas! Cheguei a rápida e irrefutável constatação diante disso: eram duas evangélicas prestes a me evangelizar! Não foi bem assim, ainda bem. Elas não estavam lá "diretamente" com o intuito de me evangelizar. Elas estavam lá com o intuito de "incentivar a leitura da Bíblia"... que tédio. Como um ateu, qualquer proselitismo  religioso já é uma encheção de testículos que um cético convicto não consegue engolir. Isso é tedioso. Mais chato do que um religioso fundamentalista tentando-lhe converter ou pregando a palavra á um ateu é duas evangélicas me acordando às dez da manhã para me incentivar a ler a Bíblia!

 Uma das evangélicas puxou uma bíblia de sua bolsa e habilidosamente abriu na página correto, no versículo correto, do parágrafo certo, da lei certa e sei lá no que mais do livro das leis divinas de Deus que eles supostamente cumprem. Não lembro o que ela disse, mas relacionava alguma coisa com Deus e o amor ao próximo, ou alguma falsidade do tipo. Obviamente latejavam em minha mente mil e uma respostas sarcásticas, sérias, debochadas, irônicas e engraçadas sob motivos variados simplesmente para ver a reação das tais senhoritas engajadas em seus projetos de incetivo ao livro sagrado. Poderia ter feito isso sem o menor remorso ou senso de vergonha. Mas não o fiz. Talvez por motivos de querer conter minha fanfarronice ou porque meu cérebro ainda não estava totalmente carregado por terem me despertado de manhã. E deveria o ter feito, afinal, esse post ficaria muito mais engraçado. Mas enquanto isso, aceitei normalmente a falação inútil da senhorita que desconhecia o fato de eu ser ateu.

 Eu poderia lhes ter ordenado que fossem embora imediatamente. Mas não se pode fazer essas coisas. Eu poderia tê-las avisado que eu era ateu, ou que eu já pertencia e seguia fielmente ao satanismo. Ou que era gay, afinal pra elas um gay é uma ameaça as "regras de Deus". Ou que eu já tinha minha religião e que acreditava em Odin, afinal ele é bem melhor.

 E porque o incentivo da leitura da Bíblia? As pessoas não gostam de ler livros grandes e chatos. E a Bíblia é exatamente isso. Por que não um livro mais legal como uma coletânea de crônicas do Luís Fernando Veríssimo ou do Arnaldo Jabor? Ou livros didáticos, que ensinem sobre placas tectônicas, as maravilhas culturais de Butão e a posição da Nova Zelândia que eu aposto que muita gente não saiba, ein? Ou até mesmo algo mais simples, como A História da Chapeuzinho Vermelho? Aposto que esses livros têm todos mais moral e mensagens éticas do que a Bíblia. E nenhum deles foi responsável por nenhuma guerra até agora.

 Enfim... só gostaria que vocês ficassem sabendo essa minha incrível aventura e desse fato que faz da minha rotineira vida agitada. Pelo o menos ainda não fui interrompido bruscamente de novo e continuo a cumprir meu horário de hibernação normalmente.