16/06/2012

Pequenos incidentes gastrointestinais #3

As melhores histórias da qual eu protagonizei envolvem em sua maioria momentos inoportunos para LIBERAÇÕES FECAIS CATASTRÓFICAS.

 A mais recente aconteceu há alguns dias. Sentado no computador, começo a sentir uma borbulhação incômoda na barriga, e já sabia que estava prestes a entrar em combustão defecatória. Obviamente decido liberar pequenas doses de metano intestinal, como se estivesse abrindo e fechando rapidamente uma tampa de Coca-Cola cheia de gás. Só pra aliviar e sentir a minha barriga murchando levemente como um doce e harmônico esvazio de uma bexiga.

 Nada mais previsível: uma pequena porção de pasta fecal escapa do meu esfincter. Sobe a marola de podre, concluo: estou defecado. Me dirijo ao toalete pra expurgar tudo de uma vez e aproveitar pra já jogar a cueca no balde, já que só tinha sido um pouco mesmo

 Tudo bem até aí. O único porém é que a densidade do bolo merdístico estava tão AGUADO que ultrapassou a minha cueca e sujou a calça de bosta também. Então o jeito era colocar a calça pra lavar, ficando só de camisa. Só que como eu estava na parte de cima da casa e só dava pra tomar banho no banheiro lá de baixo, eu precisava passar por toda a minha família, que estava em casa.

 Sem cueca, sem calça, e sem nem ao menos uma toalha pra proteger as partes íntimas pra ir tranquilamente até o banheiro que dava pra tomar banho. O que fazer? Enquanto eu tramava um plano lá em cima pra descer, meu pai sobe pra falar comigo, e eu saio pro banheiro e quase ele me pega só de camisa e com a bingola ao ar livre. Imagine o desespero ao ouvir os passos de alguém indo em sua direção quando você está de camiseta, em uma saia justa. Só que sem saia.

 Única solução: coloco a calça melada de merda encostando nas minhas nádegas - e estando frio no dia em questão - e me encaminho ao banho torcendo pra ninguém avistasse nos meus glúteos aquela freada deliciosa cor marrom-claro. Entro no banheiro com aquele passo característico de gente que está cagada, mas que tenta disfarçar. Tomo banho, volto para o computador, sento e percebo que a cadeira ainda está com odores de fezes. Lindo.